Indignado com os gastos envolvendo o paisagismo na avenida Leopoldino de Oliveira, vereador Kaká Carneiro não descarta a possibilidade de questionar o contrato junto ao Ministério Público.

Segundo ele, em meio a pandemia, cujas consequências são graves, com demissões em massa e empresas fechando e a mesmo tempo, a Prefeitura de Uberaba autoriza a construção de 25 pergolados totalizando R$240 mil, que serão pagos com recursos próprios, ou seja, os valores sairão dos cofres da administração municipal. No total são três modelos que foram adquiridos porém, proporcionalmente, é como se cada um representasse um gasto de R$ 10 mil. 

O vereador questiona a prioridade do gasto, também comparando com a pandemia. “É uma vergonha. Para testes rápidos não há recursos, mas para a compra dessa estrutura, que não tem nenhuma serventia, há. Qual a prioridade disso”, indaga.

Além disso, a empresa responsável pelo fornecimento das estruturas, a MFA Serviços de Limpeza Urbanas situada na cidade de Mauá (SP), pode ser uma das subcontratadas da Lara Central de Tratamento de Resíduos, que é alvo de investigação, visto que está envolvida diretamente na operação da Polícia Federal, desencadeada mês passado na Prefeitura de Uberaba. 

O vereador assegura que pretende levar os questionamentos para o Ministério Público para que seja tomada as devidas providências. “Não podemos ser omissos. Vou mostrar tudo para o promotor e, se for necessário, pedir o cancelamento do contrato e a devolução dos recursos para a Prefeitura”, afirma.

 

Daniela Brito

Assessoria de Imprensa

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020