Borjão quer movimento contra maus políticos e apóia produtor rural
O vereador Marcelo Machado Borges – Borjão está conclamando toda a sociedade, as lideranças políticas e classistas a fazerem um movimento contra os maus políticos. Ele quer o engajamento de todos para que, já nas próximas eleições,  os eleitores tomem uma atitude para tirar da vida pública aqueles que não tem compromisso com a população e utilizam a política como trampolim social, meio de vida, interesse própria e corrupção. “É preciso se mobilizar para eleger aqueles que tenham dignidade, como a população tem defendido desde que foi para as ruas protestar contra a corrupção. O problema do Brasil é a corrupção e nós temos que ter coragem de enfrentá-lo”, defendeu o democrata.
Borjão vai participar da mobilização conclamada pela Federação da Agricultura de Minas Gerais (Faemg) no dia 20 próximo, quando acontece Audiência Pública na Assembléia Legislativa de Minas Gerais. Os produtores querem pressionar os deputados estaduais a votarem o Projeto de Lei 276 que estabelece as mudanças necessárias no Código Florestal Mineiro. “O produtor precisa ter união nesse momento, para demonstrar a nossa força”, disse. 
Conforme o vereador, a situação do produtor mineiro é muito séria, já que vive uma insegurança jurídica no campo. Existe conflito entre as regras em vigência no Estado e o que determina o Código Florestal Nacional, aprovado ano passado. O pequeno produtor, mais uma vez é quem mais sofre com as multas aplicadas e a fiscalização rigorosa promovida pelo Ministério Público. Para poder cumprir as exigências da Lei mineira, o produtor rural, especialmente o pequeno, será obrigado a deixar de produzir. Ele tem sido punido,  mesmo cumprindo o que determina o Código Florestal Nacional. Muitos vão ter de vender suas propriedades para poder pagar as multas ou até mesmo para legalizar sua propriedade. “O produtor é trabalhador e tem interesse de preservar o meio ambiente, afinal somos nós que alimentamos o Brasil”, concluiu.
Aliás essa é mais uma luta na qual o vereador Borjão se engaja. Ele também protesta contra as regras da Vigilância Sanitária estadual que está exigindo rastreamento de carnes, frangos e ovos caipiras vendidos nas feiras. “Entendo que a saúde pública deva ser preservada, e os produtos precisam ser frescos e saudáveis, mas exigir certificação de ovo e frango vivo é um absurdo. Mais uma vez a corda arrebenta para o lado mais fraco.  De novo, o pequeno produtor é bode expiatório e vai pagar o pato, porque terá a venda desses produtos impedida. Isso é uma vergonha!”, concluiu. 
Jornalista Maria Cândida Sampaio
Assessoria do vereador Marcelo Machado Borges – Borjão

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020