Chefe de Cartório Eleitoral pede apoio da Câmara para divulgação do sistema biométrico

 

O Chefe do Cartório Eleitoral da Zona 347ª, Alexandre Barbosa Petermann, participou da Reunião Ordinária de quinta-feira (23), para pedir que os vereadores divulguem através de seus meios de comunicação, a obrigatoriedade do cadastramento biométrico, que será utilizado nas eleições de 2018. Informou que para realizar o cadastro o eleitor terá que fazer o agendamento disponível no site do Tribunal Regional Eleitoral (www.tre-mg.jus.br)  ou pelo disque eleitor 148 e marcar o dia e horário que será atendido. No dia marcado, deverá procurar o Cartório Eleitoral, localizado na Rua Lauro Borges, 97, no horário das 10h as 18h, onde será colhido não só os dados das digitais, mas também foto e assinatura.

 “O cidadão que não fizer a identificação biométrica, terá seu Título de Eleitor suspenso e não votará nas eleições de 2018”, alertou Petermann.

O Chefe do Cartório ressaltou que o sistema biométrico estava previsto para ser implantado em Uberaba em 2020, porém dada a importância do município no cenário nacional, o TRE antecipou para as eleições de 2018. Esclareceu que não será realizada só a biometria, será também feita uma revisão do eleitorado. Disse que o trabalho da biometria iniciou, de forma ordinária, em janeiro de 2016 e encerrou em 31 de janeiro deste ano, quando veio o provimento da Corregedoria Regional Eleitoral colocando a obrigatoriedade da biometria na cidade de Uberaba. Acrescentou que desde 01 de fevereiro o Cartório Eleitoral está fazendo a biometria de forma extraordinária, que vai até fevereiro de 2018.

Petermann informou que no final de um procedimento de revisão, é normal a diminuição do eleitorado, média de 5%, porém ressaltou que nos vinte dias de biometria o número está abaixo da capacidade, situação que precisa ser revertida com o mais rápido. Destacou que Uberaba tem cerca de 225 mil eleitores e só 12% da população está biometrizada. “É preciso aumentar essa porcentagem para não ter diminuição dos eleitores”

Alertou que o procedimento não será feito como antigamente, quando o eleitor era atendido imediatamente. “O sistema foi alterado para agendamento eletrônico, como é feito em diversos órgãos públicos. E este agendamento tem que ser feito o quanto antes; acredito que se deixar para janeiro ou fevereiro de 2018, ele não conseguirá fazer a biometria porque não terá horário”, ressaltou.

Os documentos que o eleitor precisa levar no dia marcado para a revisão biométrica são o CPF, RG e comprovante de residência. A copia destes documentos foi abolida. Para aqueles eleitores que não conseguir tirar a digital, Alessandre informou que no dia da eleição terá atendimento diferenciado, obedecendo os critério legais do Tribunal.

Os vereadores questionaram a possibilidade de instalar postos de atendimentos em locais estratégicos para atender o eleitor. O Chefe do Cartório disse não ser possível implantar o sistema de biometria móvel. Informou que o TRE possui um ônibus equipado para executar o serviço, porém o Tribunal argumenta que o custo para deslocá-lo às cidades é muito alto.

Diante da afirmação de que o eleitor que não fizer a biometria terá o título suspenso, o vereador Franco Cartafina (PHS), alegou que esta obrigatoriedade é uma forma de cercear o direito ao voto. Chamou a atenção para aquelas pessoas que tem dificuldade de manusear a internet e mesmo aquelas que residem em locais onde não chega o sinal da internet. “Vivemos num pais democrático e estes eleitores tem direito ao voto”. Disse que o avanço da tecnologia é necessário, mas no caso de Uberaba, o vereador manifestou sua insegurança quanto ao curto prazo, de apenas um ano, para cadastrar mais de 200 mil eleitores.

Alexandre  argumentou que toda novidade no início assusta. Disse que a equipe de funcionário do Cartório está dedicada e assegurou que a biometria será concluída de forma correta e dentro do prazo previsto.

Petermann, adiantou que no próximo mês o Presidente do Tribunal Regional Eleitoral. Desembargador Geraldo Domingos Coelho, virá à Uberaba para reforçar a importância de fazer o agendamento biométrico com antecedência. O presidente Luiz Dutra (PMDB) ressaltou que aproveitando a presença do Presidente do Tribunal e a Câmara Municipal irá fazer Audiência Pública com a presença de todos os segmentos da cidade, onde todos terão a oportunidade de sanar possíveis dúvidas quanto ao novo processo de votação.

 

JOrn. Cássia Queiroz

Departamento de Comunicação da CMU

23/02/2017

 

 

.

 

 

Franco – A obrigatoriedade em fazer biometeria, não é uma forma de cercerar o dirteito ao voto, bum pais democrático. As pessoas q. tem dificuldade de acessar internet,

Bons olhos essa modernização. Forçar algumas cidade q. num prazo menos de um ano, é pouco razoável, cadastral mais de 200 mil, com agendamento prévio na internet e ter q. ir no cartório.

Cercer o direto do cidadão…..ter seu titulo compulsoriamente cancelado. Estamos passado por momen to de ta difícil trazer a comunidade …..Vejo com temor em fazer isso em apenas um ano. N. conseguindo vamos tirar o direito do cidadão de votar

 

Alexandre: Tb temos esse temor em um ano. Toda novidade assusta no inicio depiis acostuma. È preciso ter o agendamento. O voto é obrigatório. A revisão é obrigatporio, não é so fazer biometria mais apurar o real numero de eleitor na cidade.

 

está muito aquém de nossa capacidade, ao contrário da cidade de Uberlândia, que está além da capacidade. “Precisamos reverter esse quadro, demonstrar ao TRE que nossa capacidade está pouco para o número de eltiroes

 

pelos números que está tendo hoje

 

 resivsão ão é interessante para Uberaba, no final de uma revisão eleitoral demonstrar que ouve tanto desenteresse dos eleitores  tem 225 mil eleitores 

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020