A Semana Municipal da Adoção de Crianças e Adolescentes agora faz parte do Calendário Popular de Uberaba, através de uma iniciativa da vereadora Denise Max “Denise da Supra” (PR).  Ela apresentou o Projeto de Lei número 50/2017, que foi aprovado durante a reunião desta quarta-feira (5).

Também participaram o promotor de Justiça André Tuma, a diretora do Grupo de Apoio à Adoção de Uberaba (GRAAU), Jussara Tuma, a presidente do Grupo, Viviane Fernandes, e o presidente do Conselho Fiscal, Antônio Pinto Souza Júnior. Os vereadores Alan Carlos da Silva (PEN) e Ismar Vicente dos Santos “Marão” (PSD) também assinaram o PL.

A Semana Municipal da Adoção de Crianças e Adolescentes será realizada, anualmente, na semana que antecede ao dia 25 de maio, Dia Nacional da Adoção. Segundo a vereadora, a data é sempre um motivo de reflexão, debate e união de todos aqueles que vivenciam e militam em prol da adoção.

Denise lembrou que quando tinha 23 anos de idade tentou adotar uma criança, mas foi uma burocracia e um desgaste tão grande, que acabou desistindo. Ela contou que já conversou com muitas mulheres, que também passam por situações semelhantes e reclamam muito das dificuldades enfrentadas.

A vereadora leu a carta de uma mulher, que preferiu não ser identificada, relatando os problemas que enfrentou na tentativa de realizar uma adoção. Segundo o relato, ela não conseguiu ter um filho biológico e junto com o marido decidiram fazer o cadastro.

Foram de dois a três meses para serem aceitos, mas a espera durou três anos e meio. “Foi um período de muita tristeza e dor, pois acreditávamos que não seríamos “contemplados” com um filhinho”, disse a mulher.

Ainda de acordo com o relato, a filha adotiva do casal hoje está com 4 anos e 9 meses. “Depois de tudo o que passamos, o meu depoimento é de que a adoção é a melhor coisa que acontece na vida de um casal que não pode ter filhos. Adotar é o ato mais sublime de amor”, afirmou a mãe adotiva.

Denise apresentou duas emendas ao projeto, uma modificativa e outra supressiva. A primeira alterou o artigo 17, no que diz respeito à Corrida da Adoção, enquanto a outra, tratando do mesmo assunto, suprimiu o inciso II do parágrafo 6º do artigo 17.

Durante a Semana, serão desenvolvidas atividades envolvendo o tema adoção, entre elas a Corrida da Adoção, que já é realizada anualmente pelo GRAAU. O evento deverá acontecer preferencialmente no domingo que anteceder o dia 25 de maio.

Para o vereador Alan Carlos, o projeto é de suma importância. Ele disse que se sensibilizou pelo trabalho realizado pelo Grupo de Apoio na cidade, preocupados em acolher, cuidar, contribuir de maneira efetiva na existência de pessoas que vieram para os lares, para o acolhimento familiar. “São relações que não passam pelos laços sanguíneos, mas pelo amor”, afirmou o vereador.

O vereador Ismar destacou o empenho e o trabalho realizado pelo promotor André Tuma com relação às questões que envolvem as adoções. Viviane Fernandes agradeceu aos vereadores pela aprovação do projeto.

Ela lembrou que são famílias construídas com muito afeto e amor, apesar de não serem biológicas. De acordo com a presidente do GRAAU, durante uma semana vão mostrar ainda mais a importância da adoção, quebrando alguns paradigmas.

Segundo a diretora Jussara, é uma alegria ter o tão sonhado projeto aprovado. “Ouvindo as histórias e relatos, vemos o quanto é importante haver espaços para falar sobre o assunto. A adoção precisa ser vivida por todo”, disse ela, destacando que quanto mais a adoção for vivida e falada, menor será a burocracia.  

Antônio Souza destacou que o trabalho do Grupo é voltado para as crianças e adolescentes abrigados, inclusive alguns que se encontram há meses e até mesmo anos em uma instituição, esperando serem adotados.

O promotor André Tuma disse que é muito bom contar com o apoio da Câmara, com homens e mulheres comprometidos com a causa de crianças e adolescentes. Ele contou que procura não atrapalhar o trabalho do Grupo e que o projeto aprovado é muito importante para tentar implementar a cultura da adoção no Município.

Segundo Tuma, é preciso ter uma atitude adotiva, que vai desde um bom dia a qualquer pessoa, ou tratar bem os semelhantes. “É um tema da família, da construção dos vínculos”, acrescentou.

O promotor contou que quase 50 mil crianças e adolescente estão acolhidos em instituições no Brasil, privadas da convivência de suas famílias. “É uma obrigação do sistema judiciário tentar a colocação deles, seja na família biológica, ou encaminhá-las para famílias adotiva”, afirmou o representante do Judiciário. Atualmente existem aproximadamente 36 mil pessoas cadastradas, interessadas na adoção.

“Tentaremos ampliar ainda mais esta cultura da adoção em Uberaba e região”, disse o promotor, que convidou os vereadores a participarem das ações durante a Semana comemorativa. “Estamos trabalhando juntos para a construção de um futuro melhor para as crianças e adolescentes do nosso município”, acrescentou.   

Respondendo ao vereador Rubério dos Santos (PMDB), sobre a adoção homoafetiva (casais do mesmo sexo) na cidade, André Tuma disse que já teve alguns casos na cidade e outros interessados já estão cadastrados, aptos a também adotarem. Segundo ele, a partir do momento em que o Supremo Tribunal Federal reconhece a união, também garante a proteção da entidade familiar homoafetiva.

“São casos que trazem muito alegria”, afirmou o promotor, pois, segundo ele, são justamente estes núcleos, que sofrem os maiores preconceitos na sociedade, que aceitam aquelas crianças e adolescentes que são mais preteridas, ou seja, os mais velhos, com problemas de saúde e os que ficam anos e anos relegados aos abrigos.

 

 

 

Jorn. Hedi Lamar Marques

Departamento de Comunicação CMU
05/07/2017

 

 

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020