Representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Montagem Industrial em Geral do Estado de Minas Gerais (Sintramonti/MG) estiveram no Plenário da Câmara Municipal a convite do vereador Marcelo Machado Borges “Borjão”. O assunto abordado foi demissão de funcionários por empresas locais, alguns com mais de 20 anos de contrato. A acusação é de que estas empresas estariam dando prioridade aos profissionais de outras cidades.

Para “Borjão”, este é um assunto muito importante e que precisa ser tratado pelos vereadores, lembrando que existem mais de 1.200 migrantes trabalhando na cidade. O vereador explicou que já tentou-se reverter a situação de 42 pessoas que estão desempregadas, inclusive com reunião com o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, José Renato Gomes, e até mesmo procurando outras empresas, mas sem resultados positivos.

O parlamentar também afirmou que o prefeito Paulo Piau prometeu marcar uma reunião com a Vale (para quem as empresas prestam serviços) para discutir o assunto, mas isto ainda não aconteceu. “Não quero discriminar os trabalhadores de fora, mas precisamos olhar primeiro para quem é da cidade. Eu sei de pessoas que estão passando dificuldades até mesmo para comprar comida”, explicou Borjão.

O vereador pediu o apoio do presidente do Legislativo, Luiz Dutra (SD) e disse que pretende realizar uma audiência pública para discutir o assunto. “São 42 pessoas que perderam os empregos e não conseguiram ser recolocadas em outras empresas”, afirmou “Borjão”.

O diretor de Fiscalização da Sintramonti/MG, Vilmar Souza e Silva, representou o presidente do sindicato, José Geraldo DominguesVilmar também destacou a importância de contar com o apoio do Sine, dando o suporte necessário aos desempregados. Segundo ele, nada mais justo do que a reivindicação que estão fazendo, pois as empresas alegam falta de mão de obra qualificada, que os trabalhadores faltam muito e não gostam de fazer horas extras, o que ele afirma não ser verdade.

O representante do sindicato concordou com a realização de audiência pública, pois estão precisando da ajuda da Câmara, Prefeitura e demais órgãos para tentarem resolver esta situação. Vilmar também afirmou que o sindicato está montando uma subsede na cidade, para oferecer todo o apoio necessário aos trabalhadores.

O representante da Comissão de Trabalhadores de Uberaba, Wellington Xavier Alves, reforçou que já aconteceram reuniões com o secretário José Renato, receberam acenos quanto a empregos, mas nada foi resolvido.

Ainda de acordo com Wellington, é preciso ajudar quem é da cidade, pois quem é de fora, vai gastar o dinheiro fora daqui. Segundo ele, pessoas contratadas em outras cidades nem passam pelo Sine local, o que considera um absurdo.

Ao final da participação, ‘Borjão’ confirmou que vai fazer a audiência, na qual espera contar com participação de sindicatos e entidades de classe da cidade.

 

Jorn. Hedi Lamar Marques
Departamento de Comunicação CMU
13/08/2015

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020