Grupo foi ao plenário da Câmara Municipal, onde fez manifestação com faixas e cartazes e tiveram a oportunidade de falar sobre a situação dos trabalhadores

 

Grupo de ex-funcionários da Organização Social Pró-Saúde, que era gestora das UPAs, esteve ontem no Plenário da Câmara Municipal para cobrarem os seus direitos quanto ao salário do mês de junho e os acertos recisórios. Portando faixas e cartazes, representantes dos manifestantes foram chamados à Mesa Diretora dos trabalhos para expor a situação deles. Eles explicaram aos vereadores que são mais de 420 pessoas que perderam o emprego com a saída da Pró-Saúde e entrada da Funepu na gestão das duas UPAs. O veredores grarantiram que estarão unidos aos trabalhadores na defesa dos seus direitos e, inclusive, a Justiça está acompanhando a situação, visto que o valor para o pagamento do salário de junho e das rescisões a Prefeitura descontou do que tinha de ser pago à Organização e depositou em Juízo.

O líder do prefeito na Câmara Municipal, vereador Almir Silva (PR) garantiu ao grupo que a Prefeitura fez a sua parte e preservou o valor do acerto dos trabalhadores ao depoistar R$3,4 milhões em Juízo. Contudo, o grupo se mostra preocupado com a possibilidade de atrasos, visto a morosidade da Justiça. Uma audiência de conciliação já está marcada para a próxima sexta-feira na Justiça do Trabalho.

O vereador Franco Cartafina (PHS), que é da Comissão criada para o acompanhamento da transição de gestão das UPAs fez contato com a advogada do Sindicato dos Trabalhadores na Saúde (Sindsaúde), que tranquilizou o grupo quanto ao valor depositado, que é suficiente para o acerto rescisório e quitação do mês trabalhado, ainda não pagos. Ele ressaltou que sempre foi contra a terceirização da Saúde e ao pedir o fim do contrato com a Pró-Saúde não só estava defendendo melhor atendimento à população como uma relação mais digna entre empresa e trabalhadores. Comentou que, em conjunto com o vereador Kaká Carneiro (PR), tentou fazer com que a Funepu pudesse contratá-los, mas avaliação jurídica impediu que isso fosse possível em virtude, exatamente, do passivo trabalhista.

O Vereador Kaká ressaltou que tudo o que podia ser feito para garantir os direitos dos trabalhadores foi tentado e, por fim, se conseguiu fazer com que a Prefeitura, ao acertar com a Pró-Saúde, depoisitasse em Juízo o valor correspondente aos acertos com os ex-funcionários, que é uma garantia de que eles vão receber.

Por fim, após a manifestação de vários vereadores em apoio aos manifestantes, ficou decidido que as comissões de Saúde e de acompanhamento da transição da gestão das UPAs vão estar juntas com os ex-funcionários verificando todos os detalhes dos acertos. Além disso, os vereadores destacaram ainda a possibilidade dos profissionais de prestarem o Processo Seletivo da Funepu, cujo edital será publicado ainda esta semana e as inscrições devem estar abertas a partir do dia 7 de julho.

 

Dep. de Comunicação

Márcio Gennari 

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020