Moradores do bairro rural de Ponte Alta estiveram presentes na sessão desta quinta-feira (13), na Câmara Municipal de Uberaba, apresentando demandas para o local, a convite do vice-presidente do Legislativo, Thiago Mariscal (MDB).

Heliney Kirsten Ferreira Bisinoto, presidente da Associação Comunitária dos Moradores do Bairro de Ponte Alta, iniciou os pronunciamentos manifestando o descontentamento da população com a atual situação da segurança pública naquela região. “Estamos aqui para discutir sobre o assunto. Há sete meses houve a desmobilização, desligamento da Polícia Militar e a redução de seu efetivo que fazia a segurança na região. Desde então, sofremos com um aumento no índice de criminalidade”, alertou.

Heliney associou a crise na segurança pública no bairro ao fim do destacamento da Polícia Militar de Minas Gerais. “Antes, tínhamos garantido um policiamento em período integral. Com a mudança, os crimes mais comuns relatados pelos moradores são de furto, roubo, tráfico de substância ilícitas e homicídio, além de perturbação da ordem pública e brigas de adolescentes no interior de escola”, contou, acrescentando ainda que atualmente “nem sempre faz-se questão de lavrar boletim de ocorrência por consequência da desesperança ocasionada pela falta de combate a criminalidade”.

Durante a participação da convidada, Mariscal apresentou documentos que serão encaminhados às autoridades com a finalidade de solucionar os problemas presentes naquele local. Dentre as indicações apresentadas, o vereador solicita ao prefeito, Paulo Piau, disponibilizar a presença constante da Guarda Municipal em Ponte Alta. “Conforme relato dos alunos da Escola Municipal Gastão Mesquita Filho têm sido realizadas vendas de entorpecentes no entorno da instituição”, diz o documento.

Mariscal ainda solicita ao Executivo determinar o setor competente a reforma de imóvel público localizado na rua do Comércio, nº 283. “O local encontra-se abandonado e necessitando de reforma. Caso o pedido seja atendido,  teremos como opção para a reimplantação de uma base fixa da Polícia Militar, pois a que existia no bairro foi desativada”, requere o parlamentar.

A representante da Associação Comunitária dos Moradores frisou que, como contribuintes de Uberaba, os habitantes de Ponte Alta são merecedores do serviço de segurança pública. “Isso é um dever do poder público, conforme artigo 144 da Constituição Federal de 1988. Somos quase 4 mil moradores nessa situação”, frisou. A presidente da associação, na oportunidade, se dirigiu ainda aos policiais militares que desempenham suas funções em Ponte Alta. “Quero aqui agradecer aos dois policiais que trabalham durante o período diurno em nosso bairro”, destacou.

Heliney pontuou ainda outros serviços públicos que também merecem mais atenção das autoridades. “Nossa comunidade sofre com a falta de médico, atendimento de van social e ambulância no período noturno”, contou.

Depois de ouvir as últimas demandas da convidada, Mariscal, em outra solicitação, pede a disponibilização de mais médicos para atender na Unidade Básica de Saúde (UBS) Francisco José Silva. “A quantidade de médicos nessa UBS não está sendo suficiente para atender a demanda da população local.”

Vários vereadores manifestaram apoio aos moradores de Ponte Alta. A segurança no local poderá vir a ser discutida em audiência ou reunião pública [com autoridades] sugerida pelo vereador Samuel Pereira (PR).

 

Jorn. Karla Ramos

Dep. Comunicação da CMU

13/06/2019

 

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020