O corte de 70% das vagas de ensino em tempo integral na rede pública anunciadas pelo governador Romeu Zema (Novo) foi criticado pelo vereador Almir Silva (PR) na manhã desta segunda-feira (15).

De acordo com Almir, com a medida, o número de alunos atendidos pelo programa deve cair de 111 mil estudantes para 30,6 mil, e, apenas 500 unidades (atualmente, são 1.600) manterão o programa. “Peço que o senhor reveja essa situação de reduzir o tempo integral nas escolas estaduais que, além de ser um programa educacional, é um programa social”, argumentou.

O parlamentar chamou a atenção para os reflexos negativos da medida em Uberaba e destacou a importância das escolas em tempo integral. “Reavalie, governador. Voltar atrás não é feio. O senhor não pode mexer num programa como esse que dá aparato para os pais terem tranquilidade de deixar os filhos na escola”, solicitou.

Almir, durante a sessão, pediu que o representante do Executivo na Câmara, Rubério Santos (MDB), comunique à secretária de Educação, Silvana Elias que “se prepare”.  “Quero ver onde ela vai colocar esses alunos”, afirmou.

Rubério destacou como “lamentável” o corte anunciado. “Ao invés de manter ou abrir mais vagas, como o município tem feito, o Estado faz um corte dessa grandeza”, lamentou.

Elias Divino (PHS) frisou que o corte no ensino integral afeta também funcionários. “Na Escola Estadual Henrique Kruger, no Alfredo Freire, 13 funcionários serão demitidos com essa questão”, disse.

 

Jair Neto

Estagiário do Departamento de Comunicação da CMU – 15/04/2019

 

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020