Sindicatos apresentam Manifesto em Defesa dos Servidores Municipais em Tribuna Livre
Em nome dos servidores da Prefeitura Municipal, representantes dos três sindicatos que lutam pela classe participaram da segunda reunião dos vereadores. Toda a ação foi idealizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SSPMU), com o apoio do Sindemu e do Sindae. A Tribuna Livre foi solicitada através de requerimento ao vereador Marcelo Borjão (DEM), presidente da Comissão Permanente de Assistência aos Servidores Municipais. Para ele, o plenário deveria estar lotado de servidores, tamanha a importância do movimento. “Não podemos deixar que Anderson Adauto diga que o servidor é preguiçoso. Precisamos ter mais respeito com o servidor e convocamos a todos para ajudar. O reajuste, por exemplo, deve acontecer antes de Abril”, diz.
Os sindicalistas alegam que os funcionários públicos municipais estão sendo ofendidos pelo Governo e pelo próprio prefeito, Anderson Adauto, no que diz respeito aos pedidos da categoria e a não realização de concurso público para os quadros do Hospital Regional. Recentemente, o prefeito declarou à imprensa que os servidores concursados fazem mau uso da estabilidade.
Segundo Luiz Carlos dos Santos, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos, o ato de desagravo tem como objetivo mostrar à sociedade que todos os servidores honram seus compromissos. “Se um ou outro não cumpre, não se pode generalizar e classificar a todos como ruins. Com surpresa e decepção lemos a declaração do prefeito. Talvez o senhor não saiba, mas o servidor usa bem sua estabilidade, sim! Os melhores são concursados. Esperamos, com sinceridade, que essas declarações não tenham sido planejadas e ditas com o coração e continuamos defendendo concurso público para todos os setores”. 
Para o diretor regional do Sinpro, Marcos Gennari Mariano, essas declarações são caluniosas. “Entendemos que, do mais humilde ao mais graduado, qualquer um merece respeito e valorização. Os sindicalistas de Uberaba estão unidos”, disse, ressaltando também a luta sobre a contribuição sindical, que foi cortada e não repassada, apontando Uberaba como a única cidade que não tem cumprido.
Mais dois representantes sindicais fizeram uso da Tribuna. Adislau Leite, presidente do Sindicato dos Educadores Municipais disse que continuar terceirizando o serviço público é inadmissível. Ele reconheceu que falhas existem, mas que uma boa gestão corrige isso. “Não posso dizer que diante de um escândalo político, todos os homens políticos são iguais. Não se pode generalizar”, disse. Já Jasminor da Costa, representante Codau, cobrou melhores condições para a realização de um bom trabalho. 

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020