Vereadores fiscalizam depósito e obras do Água Viva

Os vereadores visitaram ontem o trecho da Avenida Leopoldino de Oliveira, que está sob intervenção do Água Viva, e também o depósito de materiais utilizados na obra. De acordo com os oito vereadores, o andamento está dentro do esperado. O vereador Samuel Pereira, autor do convite à casa legislativa para a visita, disse que não há problemas evidentes. “Em conversa com uma pessoa, tive a informação de que estava faltando material. Com esta visita ao depósito, pudemos comprovar que estão usando tubos de qualidade reconhecida e que não está faltando nada”.
O vereador Itamar Ribeiro, esteve atento ao trabalho. “Não somos engenheiros e podemos nos considerar leigos. Na nossa primeira visita, vimos que um tubo, inicialmente, deveria ser de 300 milímetros, concluindo com 900 milímetros. Neste trecho, notamos a diferença: o tubo começa um pouco mais fino, sendo de 200 e terminando com 800 mm”, o que está de acordo com o trecho, segundo orientação do engenheiro presente. Já José Severino Rosa observa que “com este novo sistema de esgoto, as águas das chuvas serão separadas. Da forma como está sendo feita, com galerias mais próximas, se necessitar de reparos, será muito mais fácil de fazer”.
 “É bom checar in loco. Não há dúvidas uma vez que estamos visualizando um material de qualidade, com especificações gravadas, selo da ABNT. Aqui tem material que representa 30% daquilo que será feito na obra, o que significa 26 km de interceptores” revela o vereador Godoy que esclarece ainda que este tipo de tubulação tem uma superfície que aumenta sua resistência e flexibilidade. “Efetivamente, a contratada está cumprindo com sua parte”.
Outro vereador que esteve na obra foi Lerin. Para ele, mais importante que a fiscalização do poder legislativo está a paciência da população. “É preciso esclarecer que imprevistos acontecem e deixam a obra mais lenta. Aqui, por exemplo, foram encontradas pedras sabão, dificultando um pouquinho o trabalho. Primeiro estão sendo feito os condutores para o tratamento de esgoto que é mais simples. Quando começar a parte da captação de água das chuvas, aí é que vem o maior problema. No centro é que será mais difícil: no subterrâneo se encontram cabos de companhias telefônicas que vão deixar o trabalho mais lento. Para evitar maiores conturbações, serão abertas valas de meio em meio quarteirão”. Dutra corrobora com sua expectativa futura: “voltaremos outras vezes para garantir que os recursos sejam bem aplicados como estão agora e que a população poderá confiar”.
Além da paciência, o vereador Riposatti pede à população maior cuidado na execução de suas tubulações caseiras. “O vereador está acompanhando tudo, mas não devemos esquecer de conscientizar a  sociedade sobre o uso adequado da água, com canalização usada corretamente, não conectando à rede de esgoto, porque isso dificulta o tratamento dos dejetos ”
Para o vereador Cléber Cabeludo, a visita esclarece não só questionamentos da população, mas também acalma a oposição. “Acho interessante que os vereadores da oposição visitem a obra e comprovem o bom trabalho Realmente é preciso conferir as obras do Água Viva e ficamos feliz de ver uma empresa genuinamente uberabense está desenvolvendo de forma competente esta obra. Vejo que ela está atendendo o prazo estipulado, com materiais de primeira.”
Mais uma vez o presidente do CODAU foi questionado em diversos pontos, tanto pelos vereadores como também pelos moradores do local onde o projeto está em andamento.  “Obras sem reclamação não existe. Sabemos que uma parcela da população está se sentindo prejudicada – o que não deixa de ser verdade, porque a obra passa em frente aos seus comércios. Mas a velocidade em que a obra está sendo executada deixa esse prejuízo muito pequeno em relação ao benefício que todos terão”, disse Velludo, indicando que a fiscalização dos vereadores fortalece a idoneidade do CODAU e da Empreiteira. “Se houver algum erro, com certeza eles apontarão e nós corrigiremos”.

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020