As questões relacionadas à falta de água têm sido lembradas frequentemente pelos vereadores de Uberaba durante as sessões no Plenário. Nesta terça-feira (14), Franco Cartafina (PRB) e Paulo César Soares – China (SD) falaram sobre o racionamento que a cidade vem enfrentando nos últimos dias.

Franco destacou estar muito preocupado com o desabastecimento no município. “Estou sendo abordado por cidadãos que têm me questionado sobre o problema. Tentar mudar a situação de Uberaba, agora, não tem mais jeito. Temos é que economizar e também trabalhar preventivamente para que isso não mais ocorra na cidade”. O vereador citou ainda que o problema não é vivenciado somente por Uberaba. "Ele abrange outros Estados brasileiros. Hoje, não temos como corrigi-lo com medidas políticas. Os reservatórios já estão sendo fechados e o caos já está instalado. Existem pessoas que não tem água pra tomar em casa. Isso me preocupa", completou. Franco revelou que algumas fábricas resolveram parar a linha de produção, devido ao cenário que estamos presenciando. "Todas as nossas escolas, creches e hospitais precisam muito de água. Tem escola cogitando liberar os alunos. Já havíamos apresentado requerimento ao Codau antes do problema aparecer, mas infelizmente as coisas não aconteceram. E agora com o problema, nós vereadores é que somos cobrados". Cartafina finalizou seu pronunciamento chamando a atenção para a economia do produto e frisando que todos nós "temos é que torcer para chover para restabelecer a condição dos leitos dos nossos rios e reservatórios".

Já China destacou que a situação na cidade é de calamidade pública. "Somente hoje, recebi quinze ligações de moradores dos Bairros Uberaba I e Primavera. Uma senhora me contou estar 6 dias sem água em casa". "Há tempos que os governantes de Uberaba sabem que um dia o problema iria aparecer. Temos que buscar alternativas para não mais passarmos por isso nos próximos anos. O pobre é o que mais sofre diante desta situação", finalizou.

Ainda durante a sessão o vereador Edmilson de Paula (PRTB) solicitou uma Moção de Aplausos a dois empresários, o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), Luiz Cláudio Paranhos e o proprietário do frigorífico Boi Bravo, Romeu Teles.

O vereador comentou que os dois se sensibilizaram para o problema enfrentado pela população e estão doando água dos poços existentes na ABCZ e no frigorífico. Para Edmilson, é uma ajuda inestimável, neste momento em que a cidade passa por uma crise no abastecimento, devido ao período de seca. O parlamentar também fez um apelo ao Codau, para que providencie a locação de caminhões pipas com o objetivo de levar água até as pessoas que não têm como buscar. "Se a pessoa não tem carro, como vai fazer?", questionou. "É preciso ajudar as pessoas carentes e cada um pode fazer a sua parte", finalizou Edmilson.

 

Responsabilidade – Já para o vereador João Gilberto Ripposati (PSDB), a responsabilidade é de quem administra a cidade. Ele disse que acompanhou atentamente os candidatos a prefeito e que o abastecimento de água foi pauta do plano de governo dos mesmos. "Alguns mais ousados disseram que resolveriam o problema em 100 dias", lembrou.

Ripposati disse que, inclusive, vai pesquisar qual foi a proposta feita pelo então candidato a prefeito Paulo Piau naquela ocasião. O vereador também contou ter sido procurado por um engenheiro que manifestou enorme insatisfação, pois tem os impostos em dia e não aceita ficar sem água. Este mesmo engenheiro fez um questionamento sobre o aproveitamento da reserva de água do Aqüífero Guarani, afirmando que em seu conhecimento é uma fonte inesgotável. Segundo ele, a perfuração de um poço demoraria cerca de 15 dias e em no máximo 45 dias a cidade poderia estar com o abastecimento regularizado.

Ripposati argumentou que o profissional é um grande conhecedor e que pretende convidá-lo a participar do Plenário para debater o assunto.

O vereador Ismar Vicente dos Santos – Marão (PSB) explicou que apenas no Estado de São Paulo mais de 150 municípios retiram água do Aqüífero.

Ripposati então comentou que é preciso tomar cuidado com o que está protegido, alertando que faltou investimento nas nascentes, barragens e encostas. "Já debatemos muito o assunto, pedindo respostas do Executivo. Hoje a água do rio Claro está ficando comprometida, era só para complementar a água do rio Uberaba, e pode acontecer um impacto lá também", alertou Ripposati.

Ainda de acordo com Ripposati, cabe uma Moção de Aplausos ao produtor Noel, que está doando água para o município. Ele também disse que está entrando com requerimento para que o Codau estude a possibilidade de dar isenção ou desconto na tarifa dos moradores que não estão tendo abastecimento de água. O vereador Paulo César Soares – China (SD) pediu para assinar o requerimento.

Ripposati também está enviando solicitação aos deputados que representam a cidade, para que consigam verbas para realizar mudanças na captação de água do rio Uberaba, como a construção de barragens e outras obras que podem ajudar a resolver o problema de abastecimento, de acordo com estudos técnicos já realizados.

— 

Departamento de Comunicação

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020