Borjão prega a união de forças em benefício de Uberaba
"Pessimismo, brigas políticas, ciumeira e outros interesses não podem mais atrapalhar Uberaba. Temos sim que unir forças e trabalhar junto aos governos Estadual e Federal em prol de nossa cidade de maneira responsável e madura". A afirmação é do vereador Marcelo Machado Borges – Borjão que ficou indignado com as críticas do ex-prefeito Anderson Adauto,  ao atual Paulo Piau em relação às mudanças de traçado do gasoduto,  que vai passar por Betim,  anunciado pelo governador Antonio Anastasia.  
Ele considera que existem outros interesses por trás das críticas. Para Borjão é subestimar a inteligência da população de Uberaba usar o argumento de que o governador terá que deixar o cargo em 2014 para concorrer ao Senado e por isso não teria o direito de tomar uma decisão para quem efetivamente fará o projeto acontecer em 2016. 
Anderson critica algo que ele mesmo fez muito pior, ao inaugurar, por exemplo, o Hospital Regional, sem condição alguma de receber um paciente sequer, em meio ao "poeirão" da obra. Além disso, o projeto estava todo errado. Chegou ao absurdo da largura das portas serem menores do que as macas. Projetaram uma ressonância magnética em cima de um estacionamento, ou seja, era ligar o aparelho e movimentar todos os carros ao mesmo tempo. A atual administração teve de refazer o projeto e terminar a obra. 
O vereador Borjão também lembra que  outra "inauguração fajuta" foi dos BRTs, deixando a PMU sem dinheiro em caixa para fazer o terminal do Manoel Mendes. Não tinha projeto de trânsito e se iniciasse do jeito que estava, poderia até causar mortes. No terminal da Univerdecidade não havia galeria de água pluvial projetada, era chover e inundar. A administração Paulo Piau teve de desembolsar cerca de R$ 8 milhões, não previstos, para retomar as obras.  
Em seu levantamento Borjão destaca ainda a licitação no valor de R$ 4 milhões para a construção da escola do Copacabana, também inaugurada na administração anterior,  cujo valor deixado em caixa foi de apenas R$ 300 mil na verdade. 
"Isso sem contar o verdadeiro "escândalo" que envolve a compra em 2011 de software da Fundação Israel Pinheiro,  para a Saúde, pelo valor superior a R$ 3 milhões. A Prefeitura pagou quase metade e nunca funcionou porque o programa da Codiub era superior", ressalta Borjão. 
Antes do anúncio do gás via Betim pelo governador Anastasia, a Petrobras assinou um protocolo de intenções com o Governo do Estado. Para o vereador Borjão com a postura do ex-prefeito em relação ao governo do Estado, Uberaba só perdeu e suas declarações atuais demonstram que existe sim uma briga política. "Agora é hora de união e amadurecimento das relações entre os governos em benefício de Uberaba", concluiu. 
Jornalista Maria Cândida Sampaio 
Assessoria do vereador Marcelo Machado Borges – Borjão  

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020