Da forma em que está sendo realizado, o seviço não tem durabilidade e ainda forma verdadeiros ‘cocurutos’ nas vias

Qualidade do serviço de recuperação do pavimento das vias públicas da cidade é questionada pelo presidente da Câmara Municipal de Uberaba, Luiz Humberto Dutra (MDB). De acordo com o parlamentar, atualmente as empresas que realizam o serviço de tapa-buracos não seguem as normas previstas, o que acaba criando ondulações, além da sua durabilidade ser de, no máximo, um ano. Dutra pede ao prefeito que cobre das empresas contratadas a adoção de técnicas adequadas para que haja qualidade e durabilidade do serviço, fazendo com que os recursos públicos sejam bem aplicados.

Atualmente, o serviço é feito de forma incorreta, “os operários das  empresas jogam o material no buraco de cima dos caminhões, apenas untado com a emulsão e deixa para que o próprio trânsito de veículos faça a compactação. O resultado é a formação de veradeiros ‘cocurutos’ e tapagens de buracos paliativas e ineficientes, que não resistem”, afirma o presidente Luiz Dutra.

No ofício que está sendo encaminhado ao Prefeito solicitando que ele cobre mais eficiência das empresas, o presidente da Câmara diz que se informou e que o procedimento técnico correto é cortar ao redor do buraco, retirando o material comprometido de pavimento e de base, se for o caso. Após limpar toda a área interna da cavidade, repor a base e compactar, utilizando equipamento próprio, que são as placas vibratórias.  Sobre esta camada já compactada, é necessário colocar a emulsão e aí aplicar o Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ).

O presidente da Câmara disse que já levou o problema ao conhecimento do prefeito Paulo Piau de forma informal. Luiz Dutra revelou que o chefe do Executivo se mostrou preocupado com a situação e que está disposto a promover as ações necessárias para que o serviço seja bem feito.

“Não podemos permitir que a ‘lei do menor esforço’ prevaleça e que os trabalhadores atuam com comodismo. Temos de ter, acima de tudo, responsabilidade com o que propomos a fazer”, afima Dutra ao pedir mais atenção, também, aos servidores da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos  e do Codau para a questao.

O presidente da Câmara cita ainda o fato de que não são raras as vezes em que há necessidade de abertura de valas em ruas de paralelepípedos e que as pedras não são devidamente repostas no lugar, sendo substituídas por “borras” de asfalto, o que contraria, inclusive, a preservação do patrimônio histórico da cidade. O presidente da Câmara ressalta ainda os casos em que são feitos recapeamentos de vias sem que haja a elevação dos poços de visitas (bueiros), transformando-os em buracos.

“Como fiscal do cumprimento das Leis e da aplicação dos recursos públicos tenho a obrigação de recomendar ao Executivo que proceda o serviço da forma correta. Queremos que Uberaba seja referência para o País”, conclui Dutra.

 

Márcio Gennari

Departamento de Comunicação 

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020