Proposta do vereador Agnaldo Silva (PSD) sobre a instalação de postes de iluminação pública foi aprovado no Plenário da Câmara Municipal nesta quarta-feira (10). O Projeto de Lei número 115 “determina que os postes que dão sustentação às redes aéreas de distribuição de energia elétrica sejam preferencialmente colocados nas divisas dos lotes de terreno”.

O vereador lembrou que o custo da mudança de postes cobrado pela Cemig é alto, entre R$ 3 e R$ 5 mil, dependendo da distância a ser alterada. O vereador Rubério dos Santos (PMDB) lembrou que já foi prejudicado com esta situação na década de 90. Segundo ele, em 1996 pagou caro para mudar um poste apenas meio metro. “O projeto de colocar o poste na divida é interessante e não vai implicar em nenhum prejuízo para levar a energia as casas, pois para a Cemig realizar a mudança, só pagando”, afirmou Rubério.

Para o vereador Antônio Ronaldo Amâncio (PTB), o projeto é muito bom. Ele contou que na casa do irmão dele tem este problema e, sendo que o carro não pode entrar na garagem por causa do poste. O projeto também recebeu o apoio de outros vereadores, como Ismar Vicente dos Santos “Marão” (PSD), Almir Silva (PR) e Edcarlo dos Santos Carneiro “Kaká Se Liga” (PR).

Almir lembrou, ainda, da dificuldade que os empresários enfrentam ao solicitar uma ligação para a Cemig, um processo que pode levar de seis meses a um ano. “Eu acho que a Cemig oferece muito pouco pelo que recebe, é uma energia muito cara e deixa a desejar para o cidadão”, afirmou Almir.

Além de prever a colocação dos postes nas divisas dos lotes de terrenos, o projeto ainda determina que aqueles que estejam dificultando ou impedindo o acesso de pessoas ou veículos à área interna de imóveis urbanos, deverão ser realocados, sem quaisquer ônus para os proprietários ou locatários do imóvel, desde que não tenham sido realocados anteriormente nos últimos dez anos.

O projeto foi votado sem nenhum voto contrário.

 

Retirados – Dois Projetos de Lei foram retirados da pauta. O PL número 153, de autoria da vereadora Denise Max “Denise da Supra” (PR) que “dispõe sobre a estrutura organizacional da Administração Direta do Município”, e o PL 148, de autoria da Mesa Diretora, que “dispõe sobre a Consolidação da Legislação Municipal do Calendário Popular”.

 

 

Jorn. Hedi Lamar Marques

Departamento de Comunicação CMU

10/05/2017

CÂMARA MUNICIPAL DE UBERABA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2020